Skip to content

Saber mais

Conhecendo um pouco mais a bocha

A bocha é uma prática esportiva que pode ser praticada individualmente, em dupla ou em equipe. A competição é feita com seis bolas vermelhas, seis azuis e uma branca. A quadra deve ter uma marcação apropriada e precisa ser plana e lisa, de madeira, cimento ou material sintético. O objetivo principal da modalidade é encostar o maior número de bolas na bola-alvo (branca). A pontuação é dada para as bolas mais próximas da bola branca, que são comparadas com as do jogador adversário. Cada bola equivale a um ponto. Caso uma bola vermelha e uma bola azul estejam na mesma distância da bola branca, ao final da parcial, será creditado um ponto para cada jogador.

Caso duas bolas azuis e uma vermelha estejam na mesma distância da bola branca, serão creditados dois pontos para a azul e um ponto para a vermelha. Em caso de dúvida na medição de distância da bola, o árbitro poderá autorizar o jogador (individual) e o capitão (duplas e equipes) para entrarem no local da jogada, a fim de acompanhar a medição. Caso haja empate em número de pontos, ao término das parciais, será jogada uma parcial de desempate, chamada de tie break. E declarado vencedor o lado que tiver o maior número de pontos em sua somatória, ao final de todas as parciais, incluindo o tie break caso ocorra.

Sem muita diferença no esporte convencional, precisa de adaptações, se necessário, para o atleta conseguir atingir o objetivo. Essas adaptações podem ser feitas com calhas ou rampas. Para facilitar os deficientes, as bolas são confeccionadas com fibra sintética expandida e possuem superfície externa de couro. Seu tamanho é menor que a bocha convencional e pesa 280 gramas. A calha e a rampa são utilizadas quando o jogador não tem condições de jogar a bola com uma boa propulsão.

Mesmo usando essas adaptações, o atleta deve ter um contato físico direto com a bola, antes de fazer um lançamento. Esse contato também pode ser feito através de um ponteiro ou agulha presa na cabeça por uma faixa ou capacete. “Temos atletas que ainda não têm o controle dos movimentos dos membros superiores. São eles que fazem uso das agulhas e dos ponteiros”, diz o treinador Fernando Corrêa. Para sinalizar o início de cada lançamento, o árbitro mostra um indicador, que parece uma raquete de tênis, com cada lado de uma cor.

NOMENCLATURA DO JOGO

  • Jack, bola-mestra ou bola-alvo (bola branca)
  • Cancha (quadra de superfície plana e lisa onde ocorrem os jogos)
  • Box (local onde ficam as cadeiras de rodas dos jogadores)
  • Dispositivos auxiliares (rampas ou calhas para o jogador executar a jogada)
  • Calheiro (pessoa destinada a segurar e executar o movimento – com a calha ou a rampa – para o aluno mais comprometido)
  • Kit (conjunto de bolas de bocha)
  • Elegibilidade (condição motora para que o atleta possa jogar a modalidade, estando dentro do perfil da classificação funcional exigida pelo manual de classificação)
  • Bola morta (bola arremessada para fora das linhas do campo ou retirada pelo árbitro depois de uma violação)
  • Dispositivo de medida (material usado para medir a distância entre as bolas)
  • Equipamento de medição de tempo (material usado para medir o tempo de jogo de uma parcial)
  • Parcial ou set (quando os jogadores terminam de lançar todas as bolas vermelhas e azuis)
  • Partida (soma de quatro parciais ou sets, desde que não haja tie break)

Estilos da Natação

Na natação, tanto a regular quanto a adaptada, existem quatro estilos que são praticados pelos atletas: crawl, costas, peito e borboleta. O crawl ou nado livre, como também é conhecido, é considerado o mais fácil e o preferido de alguns atletas. Em uma entrevista, o nadador paraolímpico Clodoaldo Silva revela suas preferências: “Treino e disputo provas nos quatro estilos, mas como todo mundo, tenho preferências. O nado costas é o que menos gosto, a minha deficiência não ajuda neste estilo. O nado peito, eu qualifico como nado de preguiçoso, me perdoem os nossos grandes especialistas.

Quando eu estou muito cansado dos outros estilos, começo a nadar peito. Na realidade, não faço força nenhuma. Apenas, flutuo, sem fazer muita força nos braços para me deslocar. O nado borboleta, dos quatro estilos este é o que acho mais bonito, pena que cansa muito e odeio fazer força. Sou apaixonado pelo craw. Não que ache bonito, elegante ou chic, mas por ser o mais rápido. Quando estamos no final do treinamento e meu técnico fala, tem mil metros para fazer da maneira que quiser, eu sempre falo, vou fazer de craw que acabo mais rápido”.

O nado crawl é o nado mais rápido. O nadador movimenta-se com o abdome voltado para a água (decúbito ventral), utilizando propulsão de perna em movimentos alternados assim como os dos braços. Quando um dos braços está fora da água, o nadador pode virar a cabeça para respirar desse lado. Porém muitas adaptações são feitas para o nadador paraolímpico, dependendo da sua capacidade de realizar alguns movimentos. Mesmo com estas adaptações, o nado não deverá ser descaracterizado. Durante a competição, além da arbitragem oficial da competição, classificadores funcionais deverão estar presentes para observar detalhes do nado. No nado de costas o nadador permanece todo o percurso com o abdome voltado para fora da água (decúbito dorsal). Também utiliza propulsão de pernas e o movimento alternado dos braços semelhante ao nado crawl. Porém, as classes baixas (S1, S2 e S3), que são os deficientes físicos motores, poderão nadar com braços simultâneos, ou utilizando a ondulação da cabeça e tronco. Normalmente classes baixas nadam costas e crawl com a mesma técnica.

O nado de peito é o estilo mais lento da natação. As pernas são trazidas para junto do corpo com os joelhos dobrados e abertos (posição da rã), enquanto os braços abrem-se e recolhem-se à altura do peito, projetando o corpo para frente. Na seqüência, as pernas são empurradas dando propulsão ao nadador, e os braços esticam na frente para a repetição do movimento. A inspiração de ar é feita no final da puxada do braço, quando se ergue a cabeça fora da água. Porém, como em todos os estilos, são feitas adaptações. Normalmente o nadador no estilo de peito é uma categoria inferior à de crawl, com mais bloqueios. O nado borboleta é oriundo do nado de peito; os braços passam a ser lançados à frente do corpo por sobre a água e o movimento de perna é simultâneo. Também chamado de golfinho, pela semelhança de movimentos executados pelo animal. A respiração, assim como no nado de peito, é frontal quando o nadador ergue a cabeça após puxar os braços, também podendo ser realizada lateralmente. Não é muito comum que as classes baixas nadem neste estilo que requer muita exigência física. Só a partir da classe S8 é oferecido o 100m Borboleta; antes disso, somente 50m Borboleta.

Cadeiras de rodas adaptada para Basquetebol

O basquete em cadeiras de rodas foi criado nos Estados Unidos por ex-combatentes da Segunda Guerra. A modalidade foi trazida para o Brasil através de Sérgio Del Grande. Depois de um acidente em uma partida de futebol, ele ficou paraplégico. Então viajou para os EUA em busca de um tratamento de reabilitação e criou o Clube dos Paraplégico sem São Paulo.As cadeiras fabricadas nas lojas de ortopedia de São Paulo são construídas com tubos de alumínio aeronáutico e bitolas combinadas, buscando otimizar sua resistência e leveza. A estrutura é personalizada de acordo com as necessidades do jogador. Existe um eixo transversal de liga especial, com buchas receptoras nas extremidades com cambagem opcional, que é fixado na estrutura da cadeira através de mancais de alumínio que permitem a regulagem do centro de gravidade e um ajuste perfeito. As rodas traseiras são montadas com aro de alumínio específico para competição (aro opcional 24, 25 ou 26), pneus semitubulares montados com câmara de alta pressão, cubos de alumínio montados com rolamentos de precisão, eixo removível tipo quick release de alta resistência e protetor de raios. Já as rodas dianteiras em poliuretano são montadas com rolamentos de precisão, garfo de alumínio reduzido e eixo vertical de aço fixado em cubos dianteiros rolamentados. Os pedais são ajustáveis, havendo um protetor de roupas incorporado na estrutura da cadeira, que possui ainda estofamento em náilon impermeabilizado de alta resistência, com faixas de velcro para ajustes, almofada de alta densidade e acabamento de pintura eletrostática. O prazo de entrega pode chegar até 60 dias.

Anúncios
No comments yet

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: